24 de outubro de 2005

Papo cabeça num sábado a tarde

No sábado fui visitar uma amiga minha e lá encontrei a Célia, que é tia do marido dessa minha amiga. E, nós (eu e a Célia) nos encontramos uma ou duas vezes no ano. Mas, quando nos encontramos é uma delícia porque conversamos sobre tudo e trocamos muitas idéias boas. Sabe aquelas conversas que rolam e você nem percebe a hora passar? O papo da vez foi filosofia, crise existencial e, muito questionamento. Célia questionando: "Por que adquirimos experiência se não podemos voltar no tempo para aplicar esta experiência?" Eu tentando responder: "Para passarmos para as pessoas mais novas, para que a gente mesmo cresça e amadureça". "Crescer e amadurecer para depois morrer?" Aí partimos para o obscuro, para o espiritismo, para outras forças existenciais no espaço, porque aqui, neste espaço, como responder a esta pergunta? Ela questiona muitas coisas, como por exemplo, a dedicação total aos filhos e anulação completa da própria vida. Porque hoje os filhos estão tomando cada qual o seu caminho e ela está com aquele sentimento de vazio... e, agora? O que eu vou fazer? Quem eu sou? Do que eu gosto? O eu quero mesmo? E, por aí foi nosso papo. Falei para ela começar a escrever um diário, tentando descobrir uma nova Célia ou resgatar um pouco da Célia que ficou lá atrás. É complicado... porque ela é do tipo de pessoa que não quer só viver vivendo... é uma pessoa que quer respostas e que quer acreditar em alguma coisa de novo. Mas, aos poucos a gente se encontra... eu acho.

2 comentários:

Anônimo disse...

é na minha casa ninguem vai,,,, ta loko.... pra mim nem liga né... so a amiga Celia... to triste com vc...
Drika

Rita disse...

Papo cabeça uau !!Ser ou não
ser, eis a questão !!! Nós estamos
aqui na terra pagando aluguel
de tudo que pensamos possuirmos
mais na verdade é um engano total!
Nada temos, nada levamos, nada
é nosso com certeza, só nossos
sonhos, fantasias e lembranças ...
bjs